MARCHA ATLÉTICA

Gabriela Muniz brilha no Brasileiro Sub-20

Assessoria de Comunicação

22 de julho

Bragança Paulista – A brasiliense Gabriela de Souza Muniz (CASO) confirmou o seu amplo favoritismo nos 10.000 m marcha atlética do Campeonato Brasileiro Prevent Senior Sports de Atletismo Sub-20, que começou nesta sexta-feira (21/5), no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), na cidade de Bragança Paulista (SP).

Aos 18 anos – completa 19 no dia 12 de junho -, ela conquistou o tricampeonato da competição, com direito a recorde do torneio, recorde brasileiro e ratificação dos índices para o Mundial de Nairóbi, no Quênia, de 17 a 22 de agosto, e do Pan-Americano de Santiago, no Chile, de 22 a 24 de outubro – ambos na categoria sub-20.

Ela completou as 25 voltas na pista em 47:20:89. O recorde do Campeonato era dela mesma, com 50:38:30, desde 2019. Já o recorde brasileiro, Gabriela havia batido em abril, com 47.33.5.

A atleta, companheira de treinos de Caio Bonfim, medalha de bronze nos 20 km no Mundial de Londres-2017, em Sobradinho (DF), ficou muito feliz com o resultado e com a sua evolução na modalidade. “Senti um pouco o clima seco em Bragança Paulista e não estou acostumada a competir à tarde. Mas fiquei feliz com a marca. Em outras condições, poderia ter alcançado um tempo ainda melhor”, comentou.

Campeã da Copa Pan-Americana Sub-20 no dia 7 de maio, em Guayaquil, no Equador, a atleta tem novos desafios pela frente. Além de querer fechar com chave-de-ouro a categoria este ano, ela sonha em conseguir o índice para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. “Não é a minha prioridade, mas um desejo forte. Se tiver a oportunidade, vou tentar minha qualificação nos 20 km”, disse, referindo-se à marca exigida de 1:31:00.

Treinada por Gianetti Bonfim e João Sena, pais de Caio Bonfim, Gabriela tem a expectativa de poder competir no tradicional GP de La Coruña, na Espanha, em junho. “Estamos fazendo de tudo para viabilizar a viagem do Caio e, se for autorizada, a Gabi vai também”, revelou Gianetti. “Lá o clima é excelente, muito propício a obtenção de grandes marcas, além de sempre reunir atletas de alto nível.”

João Sena está se movimentando nos bastidores. Pediu ajuda para a CBAt, o Comitê Olímpico do Brasil, a Embaixada da Espanha e o Ministério de Relações Exteriores para contornar as restrições que os brasileiros tem enfrentado para entrar na Europa em função da pandemia.

Outro índice para o Mundial foi alcançado pelo potiguar Igor Clemente Medeiros de Oliveira (CPA-RN) nos 100 m. Venceu a prova com 10.58 (1.6), numa chegada acirrada, obtendo justamente o tempo exigido pela World Athletics. Só pôde comemorar após o anúncio do resultado pelo sistema de som do estádio.

“Não esperava a vitória. A prova estava muito forte e com vários atletas em condições de ganhar”, explicou Igor, de 19 anos, que mora e treina em Natal. “Consegui fazer a minha melhor marca pessoal e comemorar o resultado mais expressivo da minha carreira”, disse o velocista, que treina no Centro de Atenção Integrada à Criança (CAIC). “A pista da UFRN está fechada, mas eu consegui me virar na pandemia e treinar na praia. Moro a 500 metros do mar”, completou imensamente feliz.

Renan Correa Gallina (AA Maringá) conseguiu a sua segunda medalha de prata na competição, com 10.59 - já havia sido vice-campeão pela manhã no salto em altura. Enzo de Castro Barros (LUASA-SP) ficou em terceiro lugar, com 10.62.

Já a velocista paulista Ana Cecilia Correia de Oliveira (ABDA-SP) confirmou a boa regularidade ao vencer os 100 m, com 12.07 (0.1), recorde pessoal. Aos 17 anos, ela já havia conquistado a prata em 2020 na categoria e tinha sido campeã do Brasileiro Sub-18. “Estrou extremamente feliz porque queimei uma largada este ano e fiquei um pouco insegura. Na prova tudo deu certo e consegui meu PB”, disse a atleta nascida em Bauru (SP) e treinada por Maurício Birelo. “Estava preocupada também com o vento de Bragança Paulista, mas desta vez estava tranquilo para a marca ser homologada.”

Tainara Mees (AATI-SC) foi a vice-campeã, com 12.10, seguida de Suellen Vitória de Sant’Anna (AEFV-RJ), com 12.18.

Sem a presença de público por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, os fãs do esporte podem acompanhar o desempenho dos novos talentos na competição ao vivo pelo Canal Atletismo da TVNSports: ASSISTA AQUI

Ao todo, o torneio, que termina domingo (23/6), reúne cerca de 650 atletas de 123 clubes, de 22 Estados e do Distrito Federal e tem suas normas adaptadas para o atendimento aos protocolos de enfrentamento da pandemia da COVID-19. Todos os participantes passam pela medição da temperatura corporal antes de entrar no CNDA e a realização de teste de COVID-19 em casos suspeitos. É também obrigatório o uso de máscaras, a disponibilidade de álcool em gel, limpeza de implementos, distanciamento entre atletas na câmara de chamada, distanciamento entre os treinadores no momento das provas de seus atletas e a cerimônia de premiação diferenciada (os que forem ao pódio pegam as próprias medalhas), entre outros procedimentos.

Mais informações como programa horário, atletas participantes e resultados podem ser acessadas no hotsite da competição: CLIQUE AQUI.

A competição tem apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) que desenvolve o Programa de Formação de Atletas juntamente aos clubes integrados e ENADs (https://cbclubes.org.br/).

A Prevent Senior disponibilizou sua carreta de recorevy para a recuperação dos atletas - o caminhão está estacionado no CNDA. A Prevent Senior Sports é patrocinadora do atletismo brasileiro para a entidade gestora do esporte e os atletas brasileiros, visando a saúde integral dos indivíduos e apoio às competições.

Realização

Apoio

Patrocínio

Apoio Institucional