Campeonatos Brasileiros Sub-20

ÍNDICE NOS 400 M

Vinicius Galeno surpreende no Brasileiro Sub-20

Assessoria de Comunicação

22 de outubro

Bragança Paulista - A terceira etapa do Campeonato Brasileiro Prevent Senior Sports de Atletismo Sub-20, realizada na manhã deste sábado (22/5), no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), na cidade de Bragança Paulista (SP), foi repleta de bons resultados. Nada menos do que três atletas atingiram os índices exigidos pela World Athletics para o Mundial de Nairóbi, no Quênia, de 17 a 22 de agosto. O campeonato é sem público, mas transmitido pelo Canal Atletismo da TVNSports.

A grande novidade foi o brasiliense Vinicius Moura Galeno (CASO-DF), medalha de ouro nos 400 m, com 47.34, superando o índice exigido de 47.35. Aos 16 anos – está no primeiro ano do Sub-18 -, Vinicius ficou surpreso com o resultado. “O objetivo inicial era superar a minha marca, de 48.34. Consegui baixar dos 48 segundos e me qualificar para o Mundial”, comemorou o atleta, que há três anos treina no CASO, com estrutura montada pelo casal João de Sena Bonfim e Gianetti de Sena Bonfim, em Sobradinho (DF). “Não imaginava conseguir o índice agora porque sou novo e acredito que tenho muito a evoluir.”

Vinicius começou no atletismo numa brincadeira. Ele participou da Corrida de Reis na categoria mirim, em 2017, quando tinha 12 anos. “Entrei na prova com amigos e ganhei o maior prêmio, que era uma bicicleta. No ano seguinte, fui indicado para treinar para valer”, lembrou o campeão, que mora em Planaltina e viaja 20 km de ônibus de segunda-feira a sábado para treinar em Sobradinho.

Gabriel Alves dos Santos (ASEMPAR/Paranavaí-PR) ganhou a medalha de prata, com 48.09, seguido de João Henrrique Ribeiro Barros (ASPMP), com 48.15.

Nos 400 m feminino, a paranaense Érica Cavalheiro (Instituto Foz-PR), por sua vez, ratificou as marcas mínimas para o Mundial (54.85) e para o Campeonato Pan-Americano de Santiago, no Chile, de 22 a 24 de outubro (54.85). Ela venceu a prova, com 54.29, recorde pessoal.

“Fiquei mais de um ano sem competir por causa da pandemia e voltei apenas agora. Consegui o índice em Praia Grande, no dia 15, e agora ratifiquei com meu PB”, lembrou a atleta que foi quarta colocada nos Jogos Olímpicos da Juventude-2018, em Buenos Aires, Argentina. “Meu foco é me preparar bem para o Mundial, o Pan-Americano e o Sul-Americano”, disse referindo-se à competição ainda não confirmada para junho em Lima, no Peru.

Orientada em Foz do Iguaçu pelo treinador Edson Corassini dos Santos, ela faz atletismo desde os 9 anos, quando a mãe lhe deu o “castigo” de praticar esporte no contra turno escolar. “Eu vivia na rua à tarde e minha mãe ficou preocupada. No início não queria treinar não, só brincar. Só comecei a me dedicar mesmo depois que ganhei uma prova dos 60 m com barreiras numa competição pré-mirim em Campo Mourão (PR)”, revelou.

Taimara Pereira de Melo (Instituto Edson Luciano-SP) ficou em segundo lugar, com 56.64, e Leticia Quingostas de Oliveira (Centro Olímpico-SP), com 57.47.

A mato-grossense Lissandra Maysa Campos (Instituto Vicente Lenílson-MT) venceu o salto em distância, com 6,17 m (0.9), ratificando os índices para o Mundial (6,15 m) e Pan-Americano (5,87 m). “Consegui as marcas pela terceira vez, mas não gostei do resultado. Tive uma infecção de garganta, que atrapalhou os treinamentos na última semana”, disse a saltadora, que treina no calor de Cuiabá e estranhou o frio de São Paulo, onde está há 15 dias. Além do Mundial, Pan-Americano e Sul-Americano, ela se prepara também para o Troféu Brasil, em junho, quando enfrentará as adultas em São Paulo.

Vanessa Sena dos Santos (Centro Olímpico-SP) ganhou a medalha de prata, com 5,71 m (0.0) e Ana Luiza Dantas do Nascimento (CE3-DF) levou o bronze, com 5,69 m (-0.1).

E, no salto em distância masculino, o paranaense Gabriel Luiz Boza (APA-SP) confirmou o favoritismo ao vencer a prova, com 7,54 m (0.6), ratificando a marca mínima para o Pan-Americano (7,38 m) e ficando a 4 cm do índice do Mundial (7,58 m), que já tem por ter saltado 7,90 m.

“Vim para a competição otimista que saltaria mais de 8,00 m, mas me senti cansado. Estou acostumado a treinar no calor de Presidente Prudente e aqui senti um pouco o frio”, explicou o atleta de 18 anos, em seu primeiro ano de Sub-20.

Júlio Cesar do Nascimento Mendes (AERO-RN) terminou em segundo lugar, com 7,43 m (0.1), alcançando a marca mínima para o Campeonato Pan-Americano. Já Hygor Gabriel Soares (AERO-RN) ficou com o bronze, com 7,25 m (1.5).

Outro destaque da manhã foi a baiana Nubia de Oliveira Silva (APA-PE) conquistou a segunda medalha de ouro na competição. Depois de vencer os 3.000 m na sexta-feira (21/5), ela ganhou os 5.000 m, com 18:05.07. Mirelle Leite da Silva (Projeto Atletismo Campeão-PE) foi a segunda colocada, com 18:07.87, seguida de Francielly da Silva Marcondes (Barra do Garças-MT), com 18:14.22.

“Valeu todo o sacrifício no último mês, que fiquei longe de minha família, treinando em Jaguarari”, lembrou a corredora, que mora em Campo Formoso, também na Bahia. “Estou muito feliz porque volto para casa com dois ouros.”

Sem a presença de público por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, os fãs do atletismo podem acompanhar o desempenho dos novos talentos do esporte na competição ao vivo pelo Canal Atletismo da TVNSports: ASSISTA AQUI 

Ao todo, o torneio, que termina domingo (23/6), reúne cerca de 650 atletas de 123 clubes, de 22 Estados e do Distrito Federal e tem suas normas adaptadas para o atendimento aos protocolos de enfrentamento da pandemia da COVID-19.

Todos os participantes passam pela medição da temperatura corporal antes de entrar no CNDA e a realização de teste de COVID-19 em casos suspeitos. É também obrigatório o uso de máscaras, com a disponibilidade de álcool em gel, limpeza de implementos, distanciamento entre atletas na câmara de chamada, distanciamento entre os treinadores no momento das provas de seus atletas e a cerimônia de premiação rápida e diferenciada (os que forem ao pódio pegam as próprias medalhas), entre outros procedimentos.

Mais informações como programa horário, atletas participantes e resultados podem ser acessadas no hotsite da competição: CLIQUE AQUI 

A competição tem apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) que desenvolve o Programa de Formação de Atletas juntamente aos clubes integrados e ENADs (https://cbclubes.org.br/).

A Prevent Senior Sports é patrocinadora do atletismo brasileiro para a entidade gestora do esporte e os atletas brasileiros, visando a saúde integral dos indivíduos e apoio às competições.

Realização

Apoio

Patrocínio

Apoio Institucional