XLI Troféu Brasil Interclubes Loterias Caixa de Atletismo
#somosatletismo #brasil

NO ESTÁDIO OLÍMPICO

Pinheiros é heptacampeão do Troféu Brasil


Assessoria de Comunicação

25 de junho



Rio de Janeiro - O Esporte Clube Pinheiros venceu o XLI Troféu Brasil Loterias Caixa Interclubes de Atletismo neste sábado (25/6), com 435 pontos, e também foi campeão no masculino (195,5) e feminino (239,5). Esse foi o sétimo título consecutivo do clube de São Paulo na competição, que este ano proporcionou aos atletas a experiência de competir no Estádio Olímpico Nilton Santos, no Rio de Janeiro. 

A Orcampi foi a segunda colocada na classificação geral (167 pontos) e também no masculino (85,5) e terceira no feminino (81,5). A UCA, de Santa Catarina, foi a terceira na qualificação geral (166), a segunda no feminino (83) e a terceira no masculino (83). 

Por Estados, São Paulo teve o predomínio e somou 39 medalhas (12 de ouro, 14 de prata e 13 de bronze), com Santa Catarina em segundo e 10 medalhas (3 de ouro, 4 de prata e 3 de bronze), Rio Grande do Sul em terceiro com 3 (2 de ouro e 1 de prata), o Distrito Federal em quarto com 4 (2 de ouro e 2 de bronze) e Pernambuco em quinto com 2 medalhas de ouro.

Os melhores atletas da competição foram Rafael Pereira (Clã Delfos-MG), que venceu os 110 m com barreiras em 13.17, recorde brasileiro e sul-americano, e Viviane Lyra (Associação Fortes e Velozes), campeã dos 20.000 m marcha atlética, primeira prova da competição, com 1.33.37.13, novo recorde do Troféu Brasil. Rafael está qualificado para o Mundial de Atletismo do Oregon, Estados Unidos, e Viviane já foi convocada para os 35 km da marcha atlética. O Mundial será de 15 a 24 de julho. 

Na avaliação do presidente do Conselho de Administração da CBAt Wlamir Motta Campos o balanço da edição de 2022 é superpositivo. "Valeu a pena todo o esforço", resumiu. "Mais uma vez quebramos paradigmas, ousamos pegar o caminho não o mais fácil, mas o que precisava ser pego - o de trazer mais uma vez o atletismo para o Estádio Olímpico -, os resultados apareceram. Foi um esforço hercúleo, até porque desde 2009 não havia uma competição aqui, mas estamos satisfeitos com os resultados e a grandiosidade do evento - colocamos o atletismo na dimensão que ele deveria tomar e o reconhecimento dos parceiros é gratificante", disse Wlamir Motta Campos.

Joel de Oliveira, presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA), o Estado campeão do Troféu Brasil, disse que os clubes, atletas e treinadores se preparam visando o Troféu Brasil. "A maior parte dos nossos clubes de alto rendimento esteve representada nesta edição. É a chance de mostrar o trabalho para os patrocinadores, de os atletas alcançarem os resultados que o excelente nível técnico da competição permite e de confirmar o prestígio de nossa federação.”

Robson Maia, presidente da Federação Estadual Rio de Atletismo (FERAT), disse que o Troféu Brasil representou o "resgate do orgulho do atletismo no Rio de Janeiro, para promover a potencialidade de todas as equipes e atletas e dos novos que virão". "Temos tido um aumento de equipes se federando e acreditando no nosso trabalho, que tem o respaldo da CBAt."

Jerry Welton Gadelha, presidente da Federação Cearense de Atletismo (FCAt), disse que a mais tradicional competição do País motiva todos os clubes e atletas. "Para o Ceará, o Troféu Brasil é uma referência pelo alto rendimento esportivo. Os campeonatos regionais e estaduais buscam vagas para o Troféu Brasil."

Francisco Xavier de Oliveira, da Federação de Atletismo do Distrito Federal, que teve atletas como Joaquim Cruz, Carmem de Oliveira e Eronilde Araújo nos anos 80, explicou que a entidade atua "num processo de resgate do atletismo". "É muito importante fortalecermos os projetos que temos em Brasília. Temos uma marcha atlética muito forte – com quatro medalhas para o DF nos 20.000 m, por exemplo. Estivemos presentes com os quatro clubes e isso é muito importante para nós.”

Marcelo Moriyama, presidente da Federação de Mato Grosso do Sul (FAMS), disse que seu Estado tem muitos atletas iniciando, com idades entre 18 e 20 anos, e o "Troféu Brasil é um incentivo para eles treinarem mais forte. Nesta edição trouxemos quatro atletas, mas o objetivo é termos mais atletas competindo nesse nível.”

Também estiveram presentes os presidentes da Federação Mineira de Atletismo Gustavo Ranieri Duarte e da Federação Alagoana de Atletismo Mahebal de Vasconcelos Santos.

Números - O Troféu Brasil 2022 recebeu a inscrição de 755 atletas, de 123 clubes, representando 22 Estados e o Distrito Federal.

Teve transmissão ao vivo do Canal Olímpico do Brasil e Canal Atletismo, plataforma streaming da NSports durante as sete etapas disputadas, um total de 27 horas de transmissão e 36 mil visualizações.

Um total de 228 planos de saúde NewOn foram disponibilizados para os seis primeiros colocados em cada prova. A NewOn também esteve presente na competição com sua 'tenda' de recovery montada na pista externa do Estádio Olímpico. Os profissionais médicos e fisioterapeutas atenderam 250 atletas, num total de 400 atendimentos nos quatro dias de competições. 

A competição teve o apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), que desenvolve o programa de formação de atletas juntamente aos clubes integrados e ENADS VEJA AQUI

A NewOn é patrocinadora do atletismo brasileiro para a entidade gestora do esporte e os atletas brasileiros, visando a saúde integral dos indivíduos e apoio às competições.