EM SÃO PAULO

Orcampi vence a prova de estreia do 4x400 m misto no Troféu Brasil Loterias Caixa

A equipe do 4x100 m feminino do CT Maranhão (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

A prova do revezamento fará parte do programa olímpico em Tóquio pela primeira vez na história e a equipe brasileira já está qualificada depois de ser finalista no Mundial de Doha-2019 e de conquistar a prata no Mundial de Revezamentos da Polônia-2021

Bragança Paulista – A 40ª edição do Troféu Brasil Loterias Caixa, que começou na sexta-feira (10/6) e termina domingo (13/6) no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, na Vila Clementino, em São Paulo, marcou a estreia de uma prova na competição: o revezamento 4x400 m misto, que será disputado pela primeira vez também nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que tem a cerimônia de abertura marcada para o dia 23 de julho e de encerramento para 8 de agosto.



O Brasil garantiu qualificação olímpica na prova ao ser finalista no Campeonato Mundial de Doha-2019 e ratificou ao conquistar a medalha de prata no Mundial de Revezamentos da Silésia, na Polônia, em maio.



A equipe da Orcampi-SP, formada por Vitor Hugo de Miranda, Leticia Cristina Soares da Silva, Tiffani Marinho e Wagner Cardoso, conquistou a primeira medalha de ouro na especialidade, com 3:24.14. “Foi uma estreia perfeita”, comentou Tiffani, tricampeã dos 400 m no Troféu Brasil e titular da equipe que subiu ao pódio na Polônia. “Estamos nos acostumando às competições mistas. Já corremos em Doha e nos Mundiais de Revezamentos de Yokohama, em 2019, e da Silésia, em 2021.”



O CT Maranhão, com Marcos Vinicius Silva Moraes, Leticia Maria Nonato Lima, Joelma das Neves Sousa e João Henrique Falcão Cabral, ficou em segundo lugar, seguido da equipe do Pinheiros-SP, com Leandro Alves Prates, Mayara dos Santos Leite, Daysiellen Atla Dias e Eduardo Ribeiro Moreira, com 3:24.26.



O Pinheiros, formado por Lucas Marcelino dos Santos, Jorge Henrique Vides, Derick de Souza e Paulo André de Oliveira, foi o campeão do 4x100 m, com 39.41. No feminino, o CT Maranhão, com Bruna Farias, Ana Carolina Azevedo, Franciela Krasucki e Gabriela Mourão, ficou com o ouro, com 44.28.



No lançamento do dardo, Luiz Maurício Dias da Silva (UFJF-MG) levou o ouro, com 75,30 m. Pedro Henrique Nunes (Endurance Sports-AM) ficou com a prata, com 72,44 m, seguido de Clewerton Ruan de Souza Siqueira (Corville-SC), com 69,23 m. “Melhorei minha marca do ano e estou feliz”, disse o mineiro de 21 anos.



A qualificação do arremesso do peso, realizada na manhã deste sábado, marcou a estreia de Darlan Romani na temporada 2021. Grande nome do atletismo, eleito duas vezes – 2018 e 2019 - o melhor atleta da modalidade pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) começou na prática sua caminhada rumo a Olimpíada de Tóquio.



Já qualificado para os Jogos, o catarinense, de 30 anos, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, campeão militar e quarto colocado no Mundial de Doha-2019, Darlan voltou às competições, interrompida em dezembro de 2020 no Troféu Brasil, quando ganhou o nono título consecutivo na competição. “Me senti bem. Agora vou me concentrar para a final”, disse Darlan, referindo-se a prova deste domingo, a partir das 14:40, que marcou 19,68 m em sua única tentativa neste sábado. “Prometo dar meus 200% na final”, completou o atleta, que teve problemas de lesão no início da temporada.



Outro problema está sendo a ausência do treinador cubano Justo Navarro, que o acompanha há mais de 10 anos. Ele viajou para Cuba no final do ano para visitar os familiares e não consegue voltar por causa da pandemia. “O olhar do treinador é fundamental para corrigir detalhes técnicos nos movimentos do arremesso. Seguimos a planilha dele e tentamos nos ajudar”, afirmou, referindo-se a Geisa Arcanjo, também atleta do arremesso do peso e treinada por Navarro.



Após a quarta etapa, o Pinheiros-SP lidera a classificação geral do Troféu Brasil Loteria Caixa e segue firme em busca do sexto título seguido. O clube paulistano soma 232 pontos, seguido de Orcampi-SP, com 109, e CT Maranhão-MA, com 101 pontos.



A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), ligada ao Governo Federal, montou uma tenda no Centro Olímpico, com material educativo sobre doping. Os atletas, principalmente os mais novos, recebem informações sobre a campanha Jogo Limpo. “Somos muito procurados para ter informações sobre o uso de remédios e de substâncias proibidas”, contou Bruno Almeida, chefe de divisão da ABCD. “Estamos aqui para realizar exames de urina e de sangue nos qualificados para a Olimpíada e para os destaques do Troféu Brasil. O importante é mostrar a importância com a saúde e de preservar a vida.”



A competição prossegue na tarde deste sábado e termina domingo (13/6). Sem a presença de público por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, os fãs do esporte podem acompanhar o desempenho dos atletas ao vivo pelo Canal Atletismo da TVNSports:

ASSISTA AQUI



A competição tem suas normas adaptadas para o atendimento aos protocolos de enfrentamento da pandemia da COVID-19. Todos os participantes passam por um scanner para a medição da temperatura corporal antes de entrar no Centro Olímpico e, em caso de suspeita, a realização de teste de COVID-19. É obrigatório o uso de máscaras, com exceção no momento das provas, a disponibilidade de álcool em gel, limpeza de implementos, distanciamento entre atletas na câmara de chamada, distanciamento entre os treinadores no momento das provas de seus atletas e a cerimônia de premiação diferenciada (os que forem ao pódio pegam as próprias medalhas), entre outros procedimentos.



Mais informações como programa horário, classificação, histórico e atletas participantes podem ser acessadas no hotsite da competição: CLIQUE AQUI



A competição tem apoio do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) que desenvolve o Programa de Formação de Atletas juntamente aos clubes integrados e ENADs (https://cbclubes.org.br/).



A Prevent Senior Sports é patrocinadora do atletismo brasileiro para a entidade gestora do esporte e os atletas brasileiros, visando a saúde integral dos indivíduos e apoio às competições.



As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.