ESPORTE-BASE

Dia do Atletismo é comemorado neste 9 de outubro

Dia do Atletismo marca início de novo ciclo olímpico com Mundial do Oregon em 2022

Parabéns a toda a comunidade pelo dia do esporte-base que tem desafios como o início de novo ciclo olímpico até Paris-2024 e a disputa do Mundial de Atletismo de Oregon, nos Estados Unidos, em 2022

Bragança Paulista - O Dia do Atletismo é comemorado no dia 9 de outubro, como uma homenagem a modalidade considerada como o esporte-base - sua prática corresponde aos movimentos naturais do ser humano e serve de fundamento para todos os outros esportes. O atletismo tornou-se a mais importante das modalidades olímpicas e ganhou um dia para ser exaltado.



Nesta data importante, vamos lembrar que o esporte brasileiro entra em novo ciclo olímpico, visando os Jogos de Paris-2024, um ciclo mais curto em função da pandemia. Antes, estão previstos o Mundial de Atletismo do Oregon, nos Estados Unidos, em 2022, e os Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, em 2023.



Dois dos destaques brasileiros no atletismo em 2021 estão de olhos voltados para o futuro. Alison dos Santos, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, por exemplo, nos 400 m com barreiras, retoma os treinamentos no dia 18 de outubro, em São Paulo, depois de merecidas férias.



Em 2022 teremos o Mundial, depois o Pan e em seguida a Olimpíada de Paris. "O objetivo é chegar à melhor forma possível nos Jogos Olímpicos”, comentou o treinador Felipe de Siqueira, que orienta Alison. “Em 2021, conseguimos atingir todos os objetivos propostos no início do ano. A meta era melhorar a marca pessoal e conseguir o seu melhor resultado na final da Olimpíada. Ele foi muito regular, correndo sempre provas boas e fortes, junto com seus principais adversários”, completou o treinador. Alison terminou a temporada com o terceiro tempo do mundo, com 46.72.



O outro destaque é Darlan Romani, recordista sul-americano do arremesso do peso, com 22,61 m, e quarto colocado em Tóquio. Ele retomou os treinos nesta semana, depois de alguns dias em férias. Ele iniciou novo ciclo de treinamentos no Centro Nacional Loterias Caixa de Desenvolvimento do Atletismo, em Bragança Paulista. “Estou de volta e muito confiante em fazer uma boa preparação. Garanto que vou dar 300% nesse novo ciclo olímpico”, disse Darlan, eleito o melhor do atletismo nas duas últimas eleições realizadas pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).



Classe 1 - De volta a essa data especial, o atletismo é um dos três esportes considerados como de Classe 1, pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), devido a sua importância histórica e técnica, que vem desde os tempos antigos. Tanto que, nas 13 primeiras edições olímpicas registradas, a partir de 776 a.C., apenas o atletismo era disputado nas Olimpíadas na Grécia: uma prova de aproximadamente 200 m, chamada de “stadium”.



A origem remonta-se, porém, à própria história humana, na luta pela sobrevivência. Era necessário correr, saltar obstáculos e lançar objetos. A simplicidade das regras também explica a disseminação do esporte por todo o mundo. Afinal, os vencedores são apurados por medidas de tempo e distância. O campeão é o que corre mais rápido, que dá o maior salto ou que lança e arremessa mais longe.



Nos Jogos Olímpicos Modernos, iniciados em Atenas-1896, o atletismo é o esporte com mais participantes, o que tem o programa mais extenso e o que distribui o maior número de medalhas.



A Confederação Brasileira de Atletismo é o órgão oficial administrador da modalidade no País e filiada à World Athletics (ex-IAAF). Foi criada em 1977, depois da extinção da antiga CBD. Entrou em operação oficialmente em 1979. A entidade tem 27 federações filiadas, representando os 26 Estados e o Distrito Federal.



O atletismo, como conhecemos, teve seu formato definido na primeira metade do século XIX, na Inglaterra. O primeiro campeão dos Jogos da Era Moderna, em Atenas-1896, foi o norte-americano James Connoly, no salto triplo. A prova que já deu ao Brasil seis medalhas olímpicas, com Adhemar Ferreira da Silva, Nelson Prudêncio e João Carlos de Oliveira.



O Brasil tem vários outros medalhistas olímpicos como Joaquim Cruz, nos 800 m (duas vezes), Maurren Maggi, no salto em distância, Thiago Braz, no salto com vara (duas vezes), Vanderlei Cordeiro de Lima, na maratona, Robson Caetano da Silva, nos 200 m, Alison dos Santos, nos 400 m com barreiras, e com os revezamentos 4x100 m masculino e feminino. O primeiro medalhista olímpico brasileiro no atletismo foi José Telles da Conceição, no salto em altura, em Helsinque-1952.



Parabéns a comunidade - "É uma honra no meu primeiro Dia do Atletismo ter esse prazer e o privilégio de estar presidindo a CBAt. Gostaria de parabenizar toda a comunidade, atletas, dirigentes, árbitros, gestores, integrantes de equipes multidisciplinares. Gostaria de saudar as 27 federações nacionais e todos os colaboradores da CBAt, que formam essa grande engrenagem da entidade, responsável pela administração do atletismo no País", comentou Wlamir Motta Campos, presidente do Conselho de Administração da entidade.



"Gostaria de mandar uma mensagem de que nós estamos encaminhando muito bem a transformação do atletismo nacional, transformação essa que passa pelo fomento de nossa base e pela valorização de nossa história. Tenho absoluta certeza, que a médio e longo prazos, o atletismo será um esporte gigante em nosso País, muito mais praticado do que é hoje, teremos resultados mais expressivos a nível mundial. Quero agradecer  com muita ênfase a todos os patrocinadores e apoiadores da CBAt, em especial as Loterias Caixa, patrocinador máster do atletismo nacional."



A NewOn é patrocinadora do atletismo brasileiro para a saúde integral dos atletas e apoio às competições.



As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.