SUL-AMERICANO SUB-23

Maria Lucineida e Núbia de Oliveira conquistam quatro medalhas para o Brasil

Maria Lucineida e Núbia Oliveira: quatro medalhas para o Brasil

As jovens fundistas de 20 anos que encerraram a temporada de pista querem estrear na Corrida Internacional de São Silvestre no último dia de dezembro, em São Paulo; antes, Lucineida corre o Mundial Militar de Cross Country em Lisboa (POR)

Cascavel-PR - As fundistas Maria Lucineida Moreira (Projeto Atletismo Campeão-PE) e Núbia de Oliveira Silva (APA Petrolina-PE) foram ao pódio dos 10.000 m nesta sexta-feira (30/9), na quarta etapa do Campeonato Sul-Americano Sub-23, no Centro Nacional de Treinamento em Atletismo, em Cascavel, Paraná. Ambas informaram que terminou a temporada em pista, mas que passam os próximos meses treinando para estrear nos 15 km da Corrida Internacional de São Silvestre, em São Paulo, no último dia do ano. 



A peruana Sofia Mamani foi a campeã dos 10.000 m com recorde do campeonato em 34:28.33. Também a brasileira Maria Lucineida superou a melhor marca da competição, com 34:45.29. A medalha de bronze ficou com Núbia de Oliveira, do Brasil, com 35:19.76. O recorde do campeonato era de Jessica Paguay, do Equador, com 35.10.63, de 23 de setembro de 2016.



Maria Lucineida, de 20 anos, que é atleta da Aeronáutica, também disputará o Mundial Militar de Cross Country, em Lisboa, Portugal, competição de 7 km que será realizada de 10 a 15 de outubro. "Gostaria de ter ganho os 10 mil e lutei até onde eu pude porque não desisto e como o meu Deus eu vou longe. Mas a peruana também é forte, campeã pan-americana sub-23", disse Maria Lucineida. "Vou estrear na São Silvestre este ano pensando em performance, em pódio." Foi a segunda medalha da fundista em Cascavel, que levou o ouro nos 5.000 m.



Núbia de Oliveira, de 20 anos, também pensa nas provas de rua, quer disputar a Volta da Pampulha - "ainda não está fechado", afirma - e estrear na São Silvestre. "Estou feliz com o Sul-Americano porque este é o meu primeiro ano como sub-23", disse Núbia, que também levou a medalha de bronze nos 5.000 m.



Para Lucas Conceição Vilar (SESI-SP) ficar com a medalha de bronze nos 400 m (46.77) foi um resultado de muita superação. Explicou que passou muito mal com febre, dor e vômitos, mas resolveu correr graças ao suporte médico da seleção - equipe chefiada por André Guerreiro. "Os meninos (Erik Cardoso e Felipe Bardi) me deram motivação, a equipe me ajudou e eu fui ao pódio, com muita superação", disse o atleta paulista.



O argentino Larregina Elian Gaspar ficou com a medalha de ouro nos 400 m (46.59) e o brasileiro Douglas Mendes da Silva (Balneário Camboriú-SC) com a prata (46.59).



Nicole Dayci Caicedo Arce, do Equador, venceu os 400 m feminino (53.91), com Maria Victória Belo Sena (APA-SP) em segundo (54.11) e Giovana Rosália dos Santos (SESI-SP) em terceiro (54.67), em dobradinha do Brasil. "No ano passado eu fui segunda, mas com uma marca melhor. Mas é pensar nos Jogos Sul-Americanos de Assunção - vou correr o revezamento", disse Maria Victória.



As duas equipes de revezamento 4x100 m do Brasil ficaram com a medalha de prata. Sabrina Costa, Letícia Lima, Vida Aurora Caetano e Vanessa Sena dos Santos fizeram 44.57. O ouro ficou com a equipe do Equador (44.50) e o bronze com a Colômbia (44.74).



No masculino a seleção brasileira teve Lucas Gabriel Antunes, Renan Gallina, Lucas Rodrigues da Silva e Erik Cardoso no revezamento 4x100 m que também ganhou a medalha de prata (39.61). A Colômbia conquistou o ouro (39.59) e a Argentina o bronze (39.99).



SERVIÇO - O Sul-Americano tem entrada franca para o público, sem a necessidade de apresentação de ingresso, a quem for ao Centro Nacional, que fica na Avenida Amazonas, s/n, Parque Verde. Para os fãs do atletismo em todo o Brasil, a competição está sendo transmitida ao vivo pelo canal YouTube da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).



O Campeonato Sul-Americano Sub-23 é uma competição do calendário da Sul-Americana, realizado pela CBAt em parceria com o Governo do Estado do Paraná, por meio da Superintendência Geral do Esporte, e com o apoio da Prefeitura Municipal de Cascavel, por meio da Fundação de Esporte e Cultura de Cascavel (FMEC).



A Prevent Senior NewOn é patrocinadora do atletismo brasileiro oferecendo medicina esportiva de precisão e estilo de vida para os que se ligam no esporte e apoio às competições.



As Loterias Caixa são a patrocinadora máster do atletismo brasileiro.